Primeira semana de Mediação da Informação atrai imprensa local - IAP - Educação à Distância
17/05/2018 - 5:11

Primeira semana de Mediação da Informação atrai imprensa local

Foram abordados temas como comportamento digital e fake news, este último foi registrado pela equipe de jornalismo da Rede Massa, afiliada do SBT em Maringá-PR

Busca

IAPNEWS

Corpo docente IAP

Professores foram homenageados por conquistas acadêmicas

A I Semana de Mediação da Informação do Instituto Adventista Paranaense (IAP) recebeu profissionais que falaram sobre comportamento digital e as fake news. A jornalista Juliane GuzzoniA, repórter da RPCTV, afiliada da Rede Globo em Maringá-PR, falou sobre o prejuízo do compartilhamento e produção de notícias falsas. Por sua vez, a advogada Karen Figueiredo Jobim, especialista em direito previdenciário e presidente da comissão de direito da AOB Maringá-PR, apresentou as consequências dos crimes digitais e como de forma impensada, os jovens praticam esses delitos. O assunto chamou atenção da imprensa local e virou reportagem para a primeira edição do jornal Tribuna da Massa, da afiliada do SBT em Maringá-PR. Na área prática, os professores Diego Alexandre, doutorando em Ciências Médicas pela Unicamp e Noely Cibely dos Santos, mestre em Enfermagem na Saúde do Adulto pela USP, deram oficinas sobre a importância da comunicação entre pais e filhos e biblioterapia.

A jornalista concluiu o mestrado em Ciência: Informação e Comunicação pela Fundação Oswaldo Cruz - Rio de Janeiro

A jornalista concluiu o mestrado em Ciência: Informação e Comunicação pela Fundação Oswaldo Cruz – Rio de Janeiro

A jornalista Agatha Lemos, que é  mestre em Ciência: Informação e Comunicação, apresentou aos alunos as consequências de postagens e compartilhamentos indevidos e como a imersão digital afetou as relações humadas. A autora da série Gincana da Saúde, também realizou atividades com crianças da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Maringá-PR, grupo formado por crianças em tratamento do câncer ou que já concluíram o processo. Durante o semestre as crianças descobriram no material, formas divertidas de manter a qualidade de vida.

Uma nova visão da saúde

Em março de 2017, João Gabriel fez a cirurgia para retirada do tumor no cérebro. A mãe conta que ele pediu para estar com crianças que passaram as mesmas dificuldades que ele.

João Gabriel dos Santos Lima (9) tinha apenas sete anos quando começou a perder a visão. Após tratamentos e diagnósticos equivocados, em janeiro de 2017 a criança foi diagnosticada com um tumor cerebral que atingiu o globo ocular. Hoje, João tem apenas 30% da visão do olho esquerdo e 5% do olho direito, um ano de quimioterapia não foi suficiente para reverter o quadro. A família foi aconselhada a suspender o tratamento. Referindo-se a  força de vontade do filho e bom humor diante das dificuldades, Michele Soares dos Santos (36) conta que João não é uma criança comum. “A forma como ele interage, recebe as piores notícias, me ajuda a lidar com a vida de um modo diferente”.

As mudanças da família não formam apenas na forma de enxergar a vida, mas também foram vistas na alimentação e hábitos saudáveis, aprendidos pela criança ao participar das reuniões com os alunos de enfermagem do IAP. “Adaptamos a série Gincana da Saúde, com uma letra maior para que João pudesse ler e fazer as atividades com as outras crianças. Ele aprende e nos cobra bastante”, relata a mãe que pretende ter mais um filho.  “O nosso bebê jamais irá consumir alimentos como refrigerante e frituras, aprendemos a duras penas o valor de manter uma boa saúde”, desabafa Michele.

A história por trás do impresso

Após fazerem a leitura e concluirem as atividades de sete livros do kit a Gincana da Saúde, auxiliadas por alunos de pedagogia do IAP, as crianças da RFCC concluíram juntas a última atividade que apresenta a Confiança em Deus

O conceito por trás da leitura atrativa e das atividades dinâmicas, também foi amparado em experiências tão difíceis quanto a de João Gabriel. A escritora, Agatha Lemos iniciou o projeto para ensinar a sobrinha Lorrany de Oliveira Lemos, na época com seis anos, sobre a importância de cuidar da saúde. Nesta fase, a família perdeu a luta contra o câncer, que consumiu rapidamente a cunhada. Aos 28 anos Juliana de Oliveira deixou para trás saudades, mas despertou na jornalista o desejo de imprimir na mente da criança, a importância de cuidar da saúde. “Queria que ela aprendesse a se cuidar de forma lúdica, sem a pressão vinculada a sua história”, conta a escritora, que também é editora associada da revista Vida e Saúde.

Novo conceito 

A semana finalizou na sexta-feira (11) com reflexões do pastor Ruben Aguilar. Para a organizadora, a bibliotecária Poliana Fragatti Cristovam explica que, no novo conceito de biblioteca, o espaço passa a desempenhar um papel mais amplo do que apenas um reprodutor de serviços biblioteconômicos. Em essência, “uma das missões do bibliotecário é quebrar este paradigma, tornando a biblioteca um organismo vivo, realizando ações que atenda às necessidades informacionais no âmbito acadêmico, social e cultural da comunidade que está inserida”, descreve Poliana ao detalhar o propósito da progrzamação.

VEJA AS FOTOS

Visita da Rede Feminina de Combate ao Câncer

Semana Literária | Rede Feminina de Combate ao Câncer

Abertura da I Semana de Mediação da Informação

1° Semana da Mediação da Informação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up